Páginas

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Estudo 4 - Encontros com Jesus - Zaqueu

Estudo 4 - Encontros com Jesus - Zaqueu

Os publicanos eram coletores de impostos, mal vistos pelo povo, título tradicional de homens, em cada localidade, empregados do governo romano para cobrarem impostos do povo.
Como trabalhavam para os romanos e muitas vezes faziam cobranças extorsivas, passaram a ter má reputação, sendo geralmente odiados e considerados traidores.
Eram considerados exilados pela sociedade da época.
Não podiam servir de testemunhas ou juízes, sendo excluídos da sinagoga. Aos olhos da comunidade judaica, essa desonra estendia-se até suas famílias. (fonte: NVI).
No entanto nas suas atitudes relatadas nas escrituras fica explícita a disposição em arrependerem-se: alguns iam ao encontro de João Batista se batizavam. Outros procuravam conhecer a Jesus. Neste aspecto um personagem marcante foi Zaqueu, o chefe dos publicanos, caso descrito em Lucas 19. 01 a 09.
Zaqueu era chefe dos coletores de impostos, ou seja, comandava a extorsão, a exploração popular. Líder da corrupção. Era um homem rico, mas sabia que sua riqueza não vinha das mãos de Deus, mas que procedia do roubo e da opressão ao povo.

Leia Lucas 19. 01-09

Responda:
1. Qual o nome do homem que era chefe dos publicanos em nossa história? (v.2)
2. O que era um Publicano? (v.2)
3. O que Zaqueu fez para ver Jesus? (v. 4)
4. Qual foi a reação de Zaqueu quando Jesus lhe chamou de cima da árvore? (v. 5-6)
5. O que disseram as pessoas ao verem Jesus entrando na casa de Zaqueu? (v. 7)
6. O que Zaqueu fez depois de conhecer Jesus pessoalmente? (v. 8)
7. O que Zaqueu encontrou em Jesus? (v. 9)


Interpretação e Aplicação
1. Por que Zaqueu queria ver Jesus? (v. 3)
Reflexão: O certo é que sem Jesus todos nós somos miseráveis seja qual for a nossa posição social, raça, origem ou condição financeira.
E Zaqueu, mesmo sendo publicano e rico, queria conhecer Jesus e se esforçou para ouvir a Palavra.
2. Zaqueu encontrou pela frente uma grande multidão de pessoas que o odiavam e que não acreditavam que ele poderia ter dentro de si alguma coisa pura e boa, e agregado a isso havia o fato de que era pequenino. (v. 3-4)
 Reflexão: Parecia muito difícil levar sua intenção adiante, mas ele esforçou-se para ir além da multidão, ou seja, quebrou todas as barreiras externas que o impediam de se aproximar do Senhor.
Conosco ocorre o mesmo devemos olhar para o Senhor e não para a multidão que procura atrapalhar nossa aproximação de Jesus: alguns nos criticam, não aceitam, falam mal do Evangelho, plantam todo tipo de calúnia, mas não desistimos nunca.
Havia ainda outro empecilho: a baixa estatura que o impedia de ter uma ampla visão de Jesus em meio àquele grande número de pessoas ali reunidas, mas ele se esforçou para ter uma visão melhor, mais clara e limpa, pois queria ver a Jesus de forma ampla.
Para buscar a Jesus não podemos nos ater à multidão e tampouco às nossas limitações pessoais.
Não importa a sua estatura espiritual atual e tampouco o que você tem feito de errado até agora: todos os dias você tem que aumentar a sua visão de Jesus, tornando-a mais vívida e operante em sua transformação.
Nunca se ache tão pecador que não possa se arrepender e ser perdoado por Jesus, o único justo.
3. Jesus chamou Zaqueu pelo nome? Veja o verso 5.
Reflexão: Jesus se agrada muito quando as nossas atitudes em buscá-Lo são firmes, fortes, intensas e decididas. Colocamo-nos inteiramente para estar com Ele, agarrando essa maravilhosa oportunidade!
A nossa atitude espiritual firme e determinada de buscar estar em comunhão, em buscá-Lo, chama a atenção de Jesus, nos faz visíveis a Ele e O convidam a estar conosco!
4. O mundo não perdoa. Porque o mundo sempre nos lembra do passado para nos acusar? (v. 7)
Reflexão: O mundo não nos isenta de seus julgamentos: reclamam, murmuram, comentam, falam mal, criticam porque vêem apenas as ações erradas que tivemos no passado, assim viam Zaqueu como um ladrão, corrupto, chefe de uma quadrilha, mas não era desse jeito que Jesus o via!
O mundo não entende como nos convertemos: "Como pode o fulano de tal um assassino, ladrão, traficante, viciado, mulher da vida (Maria Madalena - por causa das suas dificuldades), entregar a sua vida a Cristo? Isso é mentira dele!", mas é Jesus quem sonda as intenções do nosso coração e nos ama quando elas são verdadeiras, de arrependimento e conversão.
A palavra e o poder do Espírito é quem nos convence do pecado.
5. A bíblia nos diz que Zaqueu recebeu Jesus em sua casa, bem como em sua vida, e isso mudou a sua história. (v. 6-9)
Reflexão: Assim como Zaqueu não devemos demorar em atender ao chamado que Jesus nos faz: não espere estar “limpo”, “sem pecado” e “com tudo em ordem” para vir, venha a Ele exatamente do jeito que você está e receba a Jesus com alegria!
O chefe dos publicanos não deu ouvidos para a manifestação do povo. Queria mesmo era se acertar com quem realmente importa: Jesus. Confessou e abandonou seus erros.


Conclusão
Zaqueu, através desse encontro com Jesus Cristo, descobriu:
1. Que não importa quanta riqueza o homem venha a possuir, ele sempre será um miserável se Jesus não estiver em sua vida.
2. Ainda que as pessoas (multidões) estejam nos impedindo de vermos Jesus, ainda assim devemos nos esforçar para vê-lo.
Quando estamos a procura de Jesus, o seu olhar nos alcança, mesmo que estejamos no alto de uma árvore ou no fundo de um poço de solidão, Ele nos tira de lá para levar salvação às nossas vidas.

GLOSSÁRIO
Publicanos (v. 2): Judeus que cobravam impostos para o Império Romano em troca de regalias.
Figueira brava (sicômoro) (v. 4): Árvore vigorosa de tronco curto e galhos espalhados.
Murmurar (v. 7): Reclamar; queixar; falar entre os dentes.
Defraudar (v. 8): Enganar; produzir uma fraude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário